SOCIAL

DEPARTAMENTO SOCIAL

 

DO COMPROMETIMENTO SOCIAL

A cada Usina tipo CTT comercializada, esta incluída a construção de um prédio social a ser entregue totalmente mobiliado e aparelhado, para a Futura Fundação Jomateleno que nele implantará o programa denominado “Social do Cidadão” a ser gerido pela Confederação do Elo Social Brasil.

DAS COOPERATIVAS DE TRABALHO

A cada CTT será construída uma cooperativa de trabalho e esta não terá a colaboração financeira do investidor vez que o SINDETAP, se encarregará de ministrar os cursos de treinamento aos integrantes da cooperativa que após eleição deverão, como micro empreendedores, terem acesso a uma linha de credito disponibilizada através de nossa parceria com o SEBRAE, e com estes valores serão suficientemente capazes de em regime de mutirão construírem a própria cooperativa.

A única participação do CTT será a liberação em consignação, de uma prensa para ser utilizada na compactação de resíduos sólidos moveleiros, e para usina de compostagem a liberação a título de comodato de um triturador de madeiras, a ser utilizado para poda de árvores e restos de mobília, ficando certo que estas cooperativas só trabalharão para o sistema INER.

 

DA DIVISÃO DE TAREFAS ENTRE AS PARCERIAS

Ao Grupo Empresarial INER cabe à construção de todas as plantas, menos as cooperativas que serão construídas em regime de mutirão, mas com a colaboração técnica do Grupo INER.

Ao SINDETAP, coube a divisão regional do país e montagens dos consórcios, notificação de todos os prefeitos, localização de todas as áreas quer das plantas do sistema INER, quer dos terrenos a serem adquiridos e utilizados para construção dos prédios sociais, apresentação do projeto para todas as autoridades, reunião com os catadores para prepará-los para nova realidade, criação de todas as diretorias do Elo Social, regional, seccional e estadual que irão trabalhar nos prédios sociais, dando inclusive treinamento para os diretores. Caberá também ao SINDETAP dar os cursos de 10 (dez) meses de tapeceiro, restaurador de móveis e decorador, aos catadores que vivem hoje através do lixo. Coube também ao SINDETAP o levantamento de todos os lixões e aterros sanitários passando para o Grupo INER suas localizações para fins de posteriores providencias.

Ao Elo Social Caberá: Colocar em prática o programa de apoio familiar denominado Social do Cidadão e também tomar todas as providências com relação às atividades exercidas por eventual ferro velho que não esteja de acordo com a legislação, bem como de lixões travestidos de aterro sanitário, providenciando suas interdições.

Da doação dos Equipamentos sociais: Nos valores de venda das usinas se encontra incluída a construção de um prédio social e sendo assim a cada usina construída um prédio social construído e doado para Fundação Jomateleno, para ser utilizado única e exclusivamente pelos projetos voltados para estruturação e reestruturação familiar de responsabilidade da CESB – Confederação do Elo Social Brasil.

 

MODELO PADRÃO, SEDES SECCIONAIS DO ELO SOCIAL BRASIL

MODELO PADRÃO, SEDES REGIONAIS DO ELO SOCIAL

 

DA MANUTENÇÃO E REESTRUTURAÇÃO FAMILIAR

Tem como Objetivo permitir a todos independente de idade, grau de escolaridade e origem familiar a chance de não desperdiçar as oportunidades que a vida lhe proporciona.É muito comum no dia a dia vermos pessoas perderem tudo que tem ou que poderia ter tido por falta de conhecimento vivencial.

É praticamente impossível viver em uma família na qual o pai é advogado e a mãe é médica, sem absorver naturalmente conhecimentos básicos destas duas matérias, no entanto, é humanamente impossível, termos sob o mesmo teto dentre nossos familiares, 13 (treze) profissionais de áreas diferentes para nos passar experiências vivenciais.

É triste vermos jovens de boa aparência que por vir de família humilde desperdiçam a juventude e também todas as oportunidades que a vida lhe deu, por não ter os mínimos conhecimentos de etiquetas e comportamentos, fato que também os excluem do mercado de trabalho já que procuram emprego com a roupa errada, não sabem se portar em uma entrevista e não tem também equilíbrio emocional para transmitir segurança ao contratante.

Este problema afeta ambos os sexos e todas as idades já que nunca é tarde para se aprender e infelizmente, a vida às vezes não nos proporciona uma nova oportunidade de causar uma primeira boa impressão.

Através destes cursos daremos aos participantes conhecimentos básicos de 13 (treze) matérias, melhor preparando-o a nosso ver, para uma vida familiar harmoniosa e um pleno sucesso e reconhecimento, em suas atividades profissionais, fato que entendemos fará toda a diferença e lhe possibilitará ser muito mais feliz na vida pessoal e realizado na profissional.

DA SOCIALIZAÇÃO DE ENCARCERADOS:

A Elo Social carcerária é uma instituição social sem fins lucrativos, com atuação nacional, criada nos termos dos parágrafos XVII e XVIII do Artigo 5º da Constituição da República do Brasil, e do artigo 16 do Decreto 678 de 06/11/1992, e das leis 9.790/99 e 10.406/06, devidamente inscrita no CNPJ sob o nº 08.449.157/0001-00 e com sede nacional sita à Rua. Cecília Bonilha 145 – Capital – São Paulo – fone 11 3991-3803 – CEP 029 19-000 e ouvidorias situadas nas capitais dos estados brasileiras estrategicamente localizadas nas proximidades do Tribunal de Justiça.

Das Ouvidorias: Localizadas estrategicamente (modelo padrão) nas proximidades dos Tribunais de Justiça de todos os estados, temos condições de melhor assistir familiares e encarcerados com distribuição de pedidos de benefícios tais como progressão de regime, indultos, Certidões, Habeas Corpus e pedidos de revisões processuais, além de dar apoio sócio cultural para seus familiares através de nosso programa de cursos vivenciais e a egressos através de nosso projeto denominado Começar de Novo Elo Social.

DA RESSOCIALIZAÇÃO

O objetivo primordial do Elo Social não é atuar na defesa de “bandido” muito pelo contrario, temos plena consciência que devem ser encarcerados e obrigados a cumprir a pena que lhes foi imposta pelo Estado, no entanto, continuam sendo um cidadão brasileiro com direitos e obrigações.

Não é justo cumprirem penas superiores a que lhes foi imposta nem serem submetidos a tratamento desumano que em muitas vezes é estendido a seus familiares em dia de visita, embora estes nada fizeram para a sociedade para serem também maltratados, humilhados e desrespeitados.

Desta forma muitos familiares preferem se associar a nossa instituição e assim passam a ter um tratamento de ressocialização individualizado e diferenciado através do qual atuamos tecnicamente e religiosamente.

MODELO PADRÃO, COOPERINERs – COOPERATIVAS DE TRABALHO